carregando...


Taboão da Serra, 14 de Novembro de 2019

Evani Calado é vice-campeã do Regional Sudeste de Bocha

Evani Caladobocha adaptadaAPTEsportes e Lazer

Atualizado em: 16/09/2019 09:09

A paratleta taboanense, Evani Calado, da Associação Paradesportiva Para Todos (APT)/Grandha que tem o apoio da Secretaria de Esportes e Lazer, foi vice-campeã na classe BC3 do Campeonato Regional Sudeste de Bocha. A competição foi organizada pela Associação Nacional de Desporto para Deficientes (ANDE) e realizada entre os dias 06 a 08 de setembro no Centro Paralímpico, em São Paulo.


Com o resultado, os atletas Evani Calado, Danilo Xavier, Lucas Marques e Rubens Oliveira, garantiram vaga nas categorias individual e duplas BC3 e BC4 do Campeonato Brasileiro que será realizado em novembro no Centro Paralimpico, em São Paulo. O evento contou com a participação de 80 atletas de 14 equipes. Na classificação geral, a APT ficou com o terceiro lugar.


Na classe BC3, soberania feminina com quatro finalistas. Evelyn Oliveira e Roberto Ferreira (o único homem entre as finalistas) venceram Evani Calado e Renata Silva, que ficaram com a prata. A disputa do bronze foi entre quatro mulheres da APBS-SP, onde Maria Isabel e Bianca ficaram com a terceira colocação.

 

Evani Calado, da Associação Paradesportiva Para Todos APT/Grandha foi vice-campeã do Campeonato Regional Sudeste de Bocha 

 


Bocha Challenge 
Recentemente implantado nos campeonatos brasileiros de bocha, esse torneio ainda não é uma competição oficial da Federação Internacional de Bocha (BISfed), mas tem caráter recreativo e premia vencedores de classes diferentes que não estejam entre as quatro primeiras colocações na disputa do campeonato.  Na categoria BC3, Elias Batista dos Santos da APT/Grandha e seu caleiro Mateus Silva foram campeões.


A Bocha é uma modalidade que abre portas para pessoas com grau severo de comprometimento motor e/ou múltiplo e está em mais de 50 países em todo o mundo. Ela pode ser jogada individualmente, em duplas ou em equipes, e é mista – homens e mulheres competem juntos e igualmente.


A APT é conhecida por disputar a Bocha adaptada que é uma modalidade paralímpica, que possui quatro categorias, que recebem os nomes de BC1, BC2, BC3 e BC4. Na classe BC3, o atleta conta com o auxilio da caleira que ajuda o competidor através de um dispositivo para movimentar a bola. Desde 2017, a equipe taboanense disputa competições de natação e petra, para atletas com paralisia cerebral.