carregando...


Taboão da Serra, 16 de Fevereiro de 2019

Mortes em vias municipais reduzem 63,6% em 2018

reduçãomortesinfosigaacidentes de trânsitoprevenção

Atualizado em: 07/02/2019 10:02

Os óbitos por acidentes de trânsito nas vias sob responsabilidade de Taboão da Serra diminuíram 63,6% em 2018, se comparado com o mesmo período no ano anterior. Em 2017, foram 11 mortes, enquanto que, ano passado, quatro, resultado dos projetos para preservação de vidas, implantados pela Prefeitura.
 
Os dados são do Sistema de Informações de Acidentes de Trânsito do Estado de São Paulo (Infosiga-SP), que contabiliza mês a mês os óbitos decorrentes de acidentes de trânsito nos 645 municípios paulistas.De acordo com a ferramenta técnica, dos 12 meses relacionados, em oito deles não se registrou mortes. 

O balanço mostra que, nos meses de janeiro, março, abril, junho e agosto, além dos três meses seguidos, de outubro a dezembro de 2018, não há casos de mortes nas vias públicas mantidas pelo município. Os números comprovam os efeitos positivos das políticas públicas para evitar acidentes fatais adotadas na cidade. 

“Implantação de sistema de fiscalização eletrônica de velocidade veicular, sinalizações horizontal e vertical são algumas das intervenções que promovemos”, relaciona Dr Gerson Brito, secretário de Transportes. “Outras de grande importância são os novos semáforos, rotatórias, lombofaixas e rampas de acessibilidade”, destaca. 

 

Revitalização de sinalizações vertical e horizontal contribuíram para a redução de mortes no trânsito em Taboão da Serra. 

 

Os projetos para melhorias nas vias públicas estão com a 1ª fase quase completa. Nesta etapa, as iniciativas atendem a 12 endereços, com a implantação e revitalização de sinalização semafórica, lombofaixas, rampas de acessibilidade, sinalização horizontal e vertical, além dos reparos em pontos necessários. 

O município se destaca pelo investimento maciço em intervenções para prevenção de acidentes e recebeu, em 2018, reforço de R$ 1.152.864,04, fruto de parceria com o Governo do Estado de São Paulo, a ser repassado pelo DETRAN-SP, por meio do Programa Movimento Paulista de Segurança no Trânsito.

Perfil

De acordo com os dados coletados no Infosiga-SP, a BR-116, que corta a cidade, foi responsável por 60% das mortes no trânsito da cidade, contra 26,6% nas vias municipais. Os homens são as principais vítimas fatais. Em 2018, 60% dos óbitos registrados foram do sexo masculino, enquanto 40%, mulheres. 

Quanto à faixa etária, os motoristas com idade entre 18 e 24 anos são os que mais morreram, 66% das vítimas. Domingo é o dia da semana em que se tem mais óbitos, 60% das ocorrências, sendo a madrugada, de 0h às 6h, o horário mais perigoso nas vias, quando foram contabilizadas 53,3% dos acidentes fatais. 

É possível também mensurar os custos que os acidentes de trânsito geram para a saúde: 60% das vítimas foram a óbito nos hospitais. O condutor é o principal tipo de vítima (40% dos casos), passageiro (33,3%), pedestres (20%). O motociclista lidera o número de mortes, que representa 60% das ocorrências.