carregando...


Taboão da Serra, 07 de Dezembro de 2018 - 17° C

Paratletas se destacam no Campeonato Paulista de bocha adaptada

paratletasbocha adaptadaAPTEsportes e Lazer

Atualizado em: 07/12/2018 15:12

Os paratletas taboanenses Danilo Xavier, Rubens de Oliveira e Evani Calado, da Associação Paradesportiva para Todos (APT) que tem o apoio da Prefeitura de Taboão da Serra, através da Secretaria de Esportes e Lazer, conquistaram duas medalhas de prata na classe BC3 individual e pares, do Campeonato Paulista de Bocha realizado no último sábado, 1º de dezembro, no Centro de Treinamento Paraolímpico, em São Paulo.


O torneio contou com a participação de atletas das cidades de São Paulo, Taboão da Serra, Mogi das Cruzes, Suzano, Caraguatatuba e Itapevi, da primeira Divisão da Bocha na categoria BC3 que são pessoas cadeirantes com grau de maior comprometimento (deficiências muito severas). A competição teve a presença do atleta Dirceu Pinto, campeão mundial e prata nas Olimpíadas.


O paratleta Danilo Xavier na classe BC3 individual ficou na segunda posição. Na categoria BC3 pares, os paratletas taboanenses Rubens de Oliveira, Danilo Xavier e Evani Calado, conquistaram o segundo lugar. A Associação Paradesportiva para Todos terminou na terceira colocação no ranking geral.


A Bocha é uma modalidade que abre portas para pessoas com grau severo de comprometimento motor e/ou múltiplo e está em mais de 50 países em todo o mundo. Ela pode ser jogada individualmente, em duplas ou em equipes, e é mista – homens e mulheres competem juntos e igualmente.


Logo após a etapa final do paulista, os paratletas da Associação Paradesportiva para Todos já iniciaram os treinos para a disputa do Campeonato Brasileiro Individual, Pares e Equipes do Circuito Loterias Caixa que será realizado entre os dias 13 e 17 de dezembro no Centro de Treinamento Paraolímpico, em São Paulo.


A APT é conhecida por disputar a Bocha adaptada que é uma modalidade paralímpica que possui quatro categorias, que recebem os nomes de BC1, BC2, BC3 e BC4. Na classe BC3, o atleta conta com o auxilio da caleira que ajuda o competidor através de um dispositivo para movimentar a bola. Este ano, a equipe taboanense disputou competições de natação e petra, para atletas com paralisia cerebral.